Ligue agora: (41) 3328-1418

Empresas informais também têm regras. Veja dez que valem para todas!

Use corretamente o português

Nos bate-papos, você pode até usar linguagem informal. Porém, principalmente quando for tratar de assuntos da empresa por escrito, gírias e expressões vulgares devem ser evitadas. “É preciso, também, ler e reler e-mails e relatórios para ter certeza de que não se está cometendo erros. Isso pega mal para qualquer funcionário, em qualquer tipo de empresa”, afirma o coaching de carreiras Vinicius Souza, especializado em Gestão de Negócios e Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing.

Respeite a hierarquia

Seu chefe pode até ser um grande amigo fora do trabalho. Mesmo assim, evite, no ambiente profissional, tratá-lo com a intimidade a que está habituado nos encontros informais. Considere que, na empresa, existe uma distância entre vocês dois, que precisa ser respeitada. Isso vale para outros líderes ou dirigentes que se mostram acessíveis e liberais. Para se resguardar, procure não se exceder nas brincadeiras, não questione ordens publicamente, não fale em tom irônico nem se sinta à vontade para descumprir as regras estabelecidas na empresa, sejam elas quais forem, só porque acredita que tem um bom relacionamento com o seu chefe.

Cuide das suas coisas e do espaço comum

Se deixar os seus pertences espalhados sobre a sua mesa já é ruim para a sua imagem, imagine largá-los de qualquer jeito no refeitório ou na pia do banheiro, ainda que por alguns minutos. “Para conviver bem, é fundamental entender que o seu direito termina onde começa o do outro e não ultrapassar esse limite”, explica Célia Leão, consultora de empresas na área de Etiqueta Empresarial e Marketing Pessoal. Zele pela limpeza e organização da sua mesa e dos espaços compartilhados. “Comer na própria mesa e ainda deixar sujeira por todos os lados pega muito mal. Prefira fazer suas refeições numa lanchonete, restaurante, no refeitório ou na copa”, diz o coaching de carreiras Vinicius Souza.

Concentre-se

Algumas empresas permitem o uso de e-mail, redes sociais e celulares para contatos pessoais. No entanto, é sempre bom limitar, por conta própria, o acesso a esses recursos no ambiente de trabalho. Isso significa ficar fora das redes ou do gerenciador de mensagens enquanto desenvolve um trabalho importante. E desligar (ou, ao menos, colocar para vibrar) o celular. Segundo os especialistas, o ideal é deixar para se inteirar das fofocas na hora do seu almoço ou depois de finalizar tudo o que havia sido solicitado para aquele dia, ao fim do expediente. “A pior coisa, para o empregador, é ver o funcionário no Facebook quando ainda há trabalho pendente. Esse é o tipo de comportamento realmente afeta a imagem de uma pessoa”, afirma coaching de carreiras Vinicius Souza.

Cumpra seus prazos

Em empresas informais, não é comum haver uma cobrança rígida de horários e até existem empresas onde os funcionários podem organizar a sua programação semanal de entrega de trabalhos por conta própria. Porém, mesmo nesses ambientes, é imprescindível dar conta das tarefas recebidas e obedecer à risca os prazos estipulados. Também é preciso considerar que a flexibilidade de horários não deve favorecer apenas a você. Afinal, em algumas empresas, o volume de trabalho varia muito em razão da demanda. “Se tiver de chegar mais cedo ou sair mais tarde alguns dias, encare isso com naturalidade. Assim como acha normal chegar mais tarde ou sair antes para atender a um compromisso pessoal importante”, afirma Maria Aparecida Araújo, consultora de Etiqueta Profissional. Além disso, é fundamental prestar atenção ao horário nos dias de reuniões ou visitas a clientes.

Pense duas vezes ao escolher a sua roupa

Ainda que a sua empresa permita que os funcionários trabalhem mais à vontade, use o bom senso para não aparecer no ambiente profissional com a mesma roupa que costuma usar aos finais de semana, para os seus programas de lazer. “O segredo é evitar todo tipo de peça que deixe o corpo exposto demais. No caso das mulheres, não são bem-vindos os decotes pronunciados, as minissaias, as saias com fendas audaciosas, as calças muito justas ou que deixam a barriga de fora, os tops sensuais e a lingerie à mostra. Homens devem banir do ambiente de trabalho regatas que exponham as axilas, bermudas e sandálias de dedo”,diz Maria Aparecida Araújo, consultora de Etiqueta Empresarial. Para a especialista, quem quer se dar bem dentro de uma organização deve ter como referência, para a apresentação pessoal, as pessoas que estão em cargos mais elevados. “Você não precisa se vestir exatamente como elas, mas deve caminhar mais ou menos na mesma direção”.

Nunca recuse uma tarefa

Ainda que tenha liberdade de escolher clientes ou projetos dentro da empresa, evite declinar de uma tarefa para a qual foi designado. Por mais desafiadora que ela pareça. Demonstre boa vontade e, se precisar de ajuda, peça. “Não se recuse a fazer algo alegando que não sabe ou não está preparado. Quando nos munimos de informação e enfrentamos os desafios, nós é quem saímos ganhando, pois nos tornamos mais capacitados e autoconfiantes”,diz a consultora de Etiqueta Profissional Maria Aparecida Araújo.

Preserve a sua vida pessoal

Não é que você não possa comentar acontecimentos importantes do seu dia a dia com os colegas. O problema é mobilizar todo mundo, praticamente parar a empresa, para dividir algum fato que só vai impactar na sua vida pessoal e que, na perspectiva dos seus colegas, é absolutamente irrelevante. Da mesma forma, respeite a privacidade de quem trabalha com você, ainda que tenha certo nível de intimidade com algumas pessoas. “Embora muita gente passe mais tempo com os colegas de trabalho do que com os familiares, isso não lhes dá o direito de invadir a vida dos outros, fazendo perguntas pessoais ou distribuindo conselhos que não foram solicitados”, diz a consultora de Etiqueta Profissional Maria Aparecida Araújo.

De vez em quando, perca a piada

Normalmente, em empresas onde existe um bom clima, em que as pessoas trabalham entrosadas, há espaço para a descontração. Porém, é preciso estabelecer limites para as brincadeiras. E uma dica prática para saber se você está exagerando é observar a reação das pessoas: a ideia é perceber se está realmente proporcionando momentos agradáveis aos outros ou se, na maioria das vezes, ri da piada sozinho. Além disso, é preciso cuidado redobrado para não fazer comentários totalmente inapropriados. “Fazer piadinhas preconceituosas ou colocar apelidos nos outros são os erros mais comuns que os funcionários cometem ao confundir descontração com brincadeira de mau gosto”, afirma a consultora de Etiqueta Empresarial Maria Aparecida Araújo.

Deixe um Comentário